diário do roberto na pandemia - dia 4


Roberto chegou no mercado. Respirava com dificuldade com a máscara, apesar de já ter encontrado o ritmo correto para usá-la.


Quando estava empurrando o carrinho, viu um homem aparentando uns 90 anos, alto, magro, caminhando vagarosamente.


Chamou sua atenção, pois ele poderia ser aquele velho daqui a uns bons anos.


O velho parou na sua frente e disse, sussurrando: quantos leites eu pego?


No mesmo instante Roberto falou: o senhor deve estar me confundindo com alguém da sua família.


E o velho: quantos leites eu pego?


Sem muita reação respondeu: dois.


O velho sorriu, virou-se e foi imediatamente para outro corredor.


Quando Roberto virou minutos depois, lá estava o velho atrás dele, com as duas caixas de leite.


- Quantos azeites de oliva eu pego?


Tentou novamente dizer que ele não era quem o velho pensava que ele fosse. Não adiantou.


- Quantos azeites de oliva eu pego?


- Um azeite de oliva.


E mais uma vez, mudando de corredor, estava lá a assombração.


- Quantos rolos de papel higiênico?


- Três.


E em minutos seu carrinho foi se enchendo de coisas que não queria.


Até que teve a ideia de passar por todos os corredores com esse senhor para ver se alguém da família dele aparecia, mas ninguém se manifestou.


Uma senhora passou e disse: “como vocês são parecidos de máscaras. Coisa rara ver pai e filho passeando nestes tempos difíceis”.


Quando estava pagando as compras, o senhor, ao seu lado, cuidando atentamente para que Roberto não deixasse nada de fora, abriu um saco de amendoins.


A funcionária disse: “O senhor vai ter que pagar pelos amendoins que seu pai está comendo”.


- Ele não é meu pai.


-Seu avô.


- Ele não é meu avô.


- Vai ter que pagar igual, pois ele está com o senhor.


- Eu não sei quem ele é!


- Coitado! Ele é a sua cara e não deveria estar aqui, é muito arriscado!


Silêncio.


Quando saiu do supermercado, o velho foi acompanhando Roberto.


Foi quando um homem, com uma camisa azul, caminhou em direção à entrada do mercado. O velho disparou novamente para dentro do mercado.


Mais uma vez Roberto sentiu-se abandonado.


Sabia que a sensação original de abandono estava relacionada diretamente com o pé na bunda que levou da namorada.


Mas antes da namorada, havia a ex, e a ex da ex.


Recebeu uma mensagem.


Era do trabalho: “Reunião urgente às 13 horas”.


Foto: https://br.freepik.com/

0 visualização

ficha técnica

Texto e direção geral: Bob Bahlis.

Elenco: Angela Ponsi e Vera Amaral.

Artista convidado: José Henrique Ligabue

Finalização: Lui Felippe

Design gráfico e web design: Angela Ponsi

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

contact us

Mail: bobbahlis@gmail.com

Watsapp: 992186068